Ponte Rio-Niterói – A maior ponte da América do Sul

A Ponte Rio-Niterói e seus mais de 13 mil metros de extensão constituem um importante marco de capacitação da engenharia nacional – por suas dimensões, audaciosa concepção e criatividade nos processos construtivos.

Foto – Agência O Globo

O conceito de seu projeto remonta a 1875, visando a ligação entre os dois centros urbanos vizinhos, separados pela baía de Guanabara ou por uma viagem terrestre de mais de 100 km, que passava pelo município de Magé. À época havia sido concebida a construção de uma ponte e, posteriormente, de um túnel.

 Entretanto, somente no século XX, em 1963, foi criado um grupo de trabalho para estudar um projeto para a construção de uma via rodoviária. Em 29 de dezembro de 1965, uma comissão executiva foi formada para cuidar do projeto definitivo de construção de uma ponte.

O projeto da ponte Rio Niterói foi preparado por um consórcio de duas empresas. A firma Noronha Engenharia, sediada no Rio de Janeiro, preparou o projeto dos acessos no Rio de Janeiro e em Niterói, assim como a ponte de concreto sobre o mar. A firma Howard, Needles, Tammen and Bergendorf, dos EUA, projetou o trecho dos vãos principais em estrutura de aço, incluindo as fundações e os pilares.

 Os engenheiros responsáveis pelo projeto da ponte de concreto foram Antônio Alves de Noronha Filho e Benjamin Ernani Diaz e o engenheiro responsável pela ponte de aço foi o americano James Graham.

Junho de 2006

 O canteiro principal da Ponte Rio de Niterói do Consórcio Construtor Guanabara se localizava na Ilha do Fundão, pertencente à Universidade Federal do Rio de Janeiro. Havia, também, canteiros secundários em Niterói.

Fevereiro de 2006

As firmas executoras da superestrutura em aço foram Dormann & Long, Cleveland Bridge e Montreal Engenharia. A estrutura foi toda fabricada na Inglaterra em módulos, que chegaram ao Brasil por transporte marítimo.

Foto – Agência O Globo

A fabricação final da ponte de aço, com os elementos pré-soldados da Inglaterra, foi feita na Ilha do Caju, na Baia de Guanabara. A montagem das vigas de aço também foi feita pelas mesmas firmas fabricantes da estrutura.

Foto – Agência O Globo

  A construção durou cinco anos e, no seu auge, empregou mais de dez mil operários liderados por cerca de 150 engenheiros. À época de sua inauguração, previa-se que a ponte alcançaria um volume de tráfego de 50 mil veículos por dia, nos dois sentidos, mas o crescimento da Região Metropolitana do Rio de Janeiro extrapolou aquela previsão.

Foto – Agência O Globo

Segundo a Ponte S/A, concessionária que administra a via desde 1995, a Ponte Rio-Niterói é, atualmente, a oitava do mundo em extensão. No entanto, engenheiros que participaram da construção garantem que ela ainda é a maior do mundo em volume espacial (área construída), por conta dos pilares gigantescos e das fundações muito profundas.

Fontes: www.wikipedia.org

www.skyscrapercity.com

About these ads

5 comentários em “Ponte Rio-Niterói – A maior ponte da América do Sul

  1. Pingback: As maiores obras da Engenharia Civil brasileira! | Engenharia Estrutural e Construção Civil

  2. Só esqueceram de citar o nome de um Grande Engenheiro que também participou desta construção. O Dr Elias Vieira de Vasconcellos. Não só dessa ponte, mas de muitas outras obras importantes neste Pais. Lamentável que não tenha nenhum historico dele na internet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s