Ponte Rio-Niterói – A maior ponte da América do Sul

A Ponte Rio-Niterói e seus mais de 13 mil metros de extensão constituem um importante marco de capacitação da engenharia nacional – por suas dimensões, audaciosa concepção e criatividade nos processos construtivos.

Foto – Agência O Globo

O conceito de seu projeto remonta a 1875, visando a ligação entre os dois centros urbanos vizinhos, separados pela baía de Guanabara ou por uma viagem terrestre de mais de 100 km, que passava pelo município de Magé. À época havia sido concebida a construção de uma ponte e, posteriormente, de um túnel.

 Entretanto, somente no século XX, em 1963, foi criado um grupo de trabalho para estudar um projeto para a construção de uma via rodoviária. Em 29 de dezembro de 1965, uma comissão executiva foi formada para cuidar do projeto definitivo de construção de uma ponte.

O projeto da ponte Rio Niterói foi preparado por um consórcio de duas empresas. A firma Noronha Engenharia, sediada no Rio de Janeiro, preparou o projeto dos acessos no Rio de Janeiro e em Niterói, assim como a ponte de concreto sobre o mar. A firma Howard, Needles, Tammen and Bergendorf, dos EUA, projetou o trecho dos vãos principais em estrutura de aço, incluindo as fundações e os pilares.

 Os engenheiros responsáveis pelo projeto da ponte de concreto foram Antônio Alves de Noronha Filho e Benjamin Ernani Diaz e o engenheiro responsável pela ponte de aço foi o americano James Graham.

Junho de 2006

 O canteiro principal da Ponte Rio de Niterói do Consórcio Construtor Guanabara se localizava na Ilha do Fundão, pertencente à Universidade Federal do Rio de Janeiro. Havia, também, canteiros secundários em Niterói.

Fevereiro de 2006

As firmas executoras da superestrutura em aço foram Dormann & Long, Cleveland Bridge e Montreal Engenharia. A estrutura foi toda fabricada na Inglaterra em módulos, que chegaram ao Brasil por transporte marítimo.

Foto – Agência O Globo

A fabricação final da ponte de aço, com os elementos pré-soldados da Inglaterra, foi feita na Ilha do Caju, na Baia de Guanabara. A montagem das vigas de aço também foi feita pelas mesmas firmas fabricantes da estrutura.

Foto – Agência O Globo

  A construção durou cinco anos e, no seu auge, empregou mais de dez mil operários liderados por cerca de 150 engenheiros. À época de sua inauguração, previa-se que a ponte alcançaria um volume de tráfego de 50 mil veículos por dia, nos dois sentidos, mas o crescimento da Região Metropolitana do Rio de Janeiro extrapolou aquela previsão.

Foto – Agência O Globo

Segundo a Ponte S/A, concessionária que administra a via desde 1995, a Ponte Rio-Niterói é, atualmente, a oitava do mundo em extensão. No entanto, engenheiros que participaram da construção garantem que ela ainda é a maior do mundo em volume espacial (área construída), por conta dos pilares gigantescos e das fundações muito profundas.

Fontes: www.wikipedia.org

www.skyscrapercity.com

About these ads

4 comentários em “Ponte Rio-Niterói – A maior ponte da América do Sul

  1. Pingback: As maiores obras da Engenharia Civil brasileira! | Engenharia Estrutural e Construção Civil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s